Estudos_.jpg

Porque e como faço

"Aqui é onde descrevo um pouco do que acontece dentro das entranhas das minhas idéias, nas espículas dos neurônios que guardam minhas bagagens. Se liga aí..."

Se tem algo que eu curto é me dedicar a aprender.
Fazer pesquisas artísticas e me sentir inseguro diante de novidades. Tenho um bom conhecimento de técnicas de produção e um jeito peculiar de fazer as coisas. Acho que de tanto fazer, eu creio. Isso me deixa admirado, saber fazer coisas, sabe? Para mim, isso tem que ser algo natural do ser humano e não uma virtude. Dou muito valor a quem sabe realizar coisas, quanto mais amplo o conhecimento e diversificado, mais eu venero.
Em cada fase, gosto de mudar e me adaptar. Desafio-me ao novo meio, material e estilo que me proponho estudar. Gosto da dificuldade dos novos desdobra-mentos dentro de diretrizes. Atualmente, construo conceitos a partir de percepções cognitivas na minha arte, expandindo técnicas. Não me aprisiono a um mesmo estilo de trabalho que, supostamente, tenha sido bem-sucedido dentro da minha própria visão ou ao olhar do espectador. Permeio a pesquisa com formas e materiais distintos, utilizando processos para fugir da repetição, da própria imitação. Tenho como viés a construção de uma forma subversiva para observar a mesma idéia. Isso guia muitas das minhas criações. Gosto de saber que somos mutáveis desde que nascemos. Sem exatidões eternas, estamos em constante adaptação ao meio, podendo melhorar ou piorar. É assim que confio em diferentes formas de pensar em cada fase dos meus estudos, construindo uma bagagem, agregando e descartando procedimentos. E talvez... razões...

estudos